Página Inicial Notícias Superação - Alunos do 3º ano do Ensino Médio se aventuram em subida ao Pico da Bandeira

Notícias

08 JUN

imagem de capa Titulo

Superação - Alunos do 3º ano do Ensino Médio se aventuram em subida ao Pico da Bandeira

Ensino Médio

Adrenalina, aventura, desafio e diversão. A excursão que os alunos do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Santa Catarina (CSC) fizeram à Serra do Caparaó no último fim de semana (dias 2, 3 e 4 de junho) foi marcada por um misto de sensações. Acompanhado por professores e coordenadores, o grupo de 109 adolescentes encarou quase três mil metros de altitude até o topo da terceira montanha mais alta do país: o Pico da Bandeira. Uma caminhada que exigiu fôlego e coragem de quem se aventurou. Mas apesar do esforço, da baixa temperatura e do cansaço, o que ficou de saldo na bagagem foram boas histórias para contar.

Imagem

A excursão ao Pico da Bandeira é esperada com ansiedade pelos alunos e, muitas vezes, uma espera que leva anos, pois a maioria deles estuda no CSC desde pequeno. Ela marca o encerramento de um ciclo. A maioria dos jovens partem de Juiz de Fora com ideias preconcebidas a respeito da escalada, baseadas em histórias de ex-alunos que já passaram pela experiência e, com isso, esperam encontrar mais dificuldades no caminho. Para muitos, na subida, pesa a respiração e na descida a perna, já cansada, parece querer falhar. Na hora, o primeiro impulso é desistir, mas quem consegue se superar afirma que o esforço é recompensado bela beleza da paisagem e pelo indescritível sentimento de ter alcançado algo extraordinário.

Claro que as dificuldades enfrentadas ao longo do percurso variam de acordo com o preparo físico de cada estudante. Mas, independente da experiência particular que cada um terá para contar dessa viagem, todos terão na lembrança os momentos de companheirismo, ponto forte da aventura. Na hora do desespero sempre prevalece a solidariedade.

Imagem

Um incentiva o outro. É o clima frio da serra aquecendo os laços de amizade, e serve também para que os alunos se deem conta da proximidade do encerramento de um ciclo. A maioria se conhece há mais de dez anos e estuda junto desde criança. É uma vida juntos. A experiência de estar todo mundo reunido numa mesma viagem, embora fantástica, mostra que logo ali na frente, cada um vai desembarcar numa estação, seguir um caminho profissional diferente, dando um até breve na convivência diária. O que fica é a certeza de que nunca irão esquecer essa experiência, que só foi fantástica porque foi dividida com amigos. 

Analisando a aventura, os estudantes chegaram à conclusão de que a escalada ao topo do Pico da Bandeira é uma metáfora da vida. Você chega ao topo e vê o passado lá embaixo, tudo o que passou, a Educação Infantil, o Ensino Fundamental, todos os professores e percebe que você chegou ao terceiro ano, prestes a embarcar em outra locomotiva, a do ensino superior. Cada passo dado na subida é uma etapa superada na escola. E lá em cima está o vestibular. Se o aluno se preparou, estudou, fez a parte dele, não dá para ficar pelo meio do caminho. 

Leia, abaixo, alguns depoimentos de alunos que viveram essa inesquecível experiência:

Imagem

Pico da Bandeira

Imagem

O pico da Bandeira é o terceiro ponto mais alto do país, atrás apenas dos picos da Neblina e 31 de Março, ambos no estado do Amazonas. O da Bandeira está localizado do Parque Nacional do Caparaó, na Serra do Caparaó, na divisa de Minas com o Espírito Santo. Apesar dos 2.891 metros de altitude, é a mais acessível das grandes montanhas brasileiras, em função das trilhas muito bem sinalizadas. Foi batizada com este nome porque, em 1859, Dom Pedro II determinou que cravassem uma bandeira do império no local, que, na época, era tido como o mais alto do Brasil. É um dos pontos mais frios da região Sudeste, onde as temperaturas podem chegar a -10ºC.

Para economizar energia, a primeira parte do percurso, com cerca de um quilômetro do hotel até a Tronqueira, é feita por jipes. A partir daí, no entanto, só dá para subir a pé ou de burro. A segunda parte conta com 3,7 km de caminhada até o que se chama de Terreirão, o ponto limite até onde os burrinhos vão. A partir do Terreirão são mais 3,2 km de subida por trilhas bastante íngremes. Todo o caminho é marcado por setas amarelas pintadas nas pedras, a fim de orientar os aventureiros. Ao se chegar no topo, o visual é maravilhoso e a sensação de estar lá indescritível.

Imagem

* Outras informações, com a Assessoria de Comunicação do CSC, pelo telefone 2101-9867.







 

Colégio Santa Catarina © 2017 Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: Logotipo Emedia